Montreal By Night
Pally Masters Play By Forum

1º PASSO: Se Registre no fórum

2º PASSO: Entre em contato com o Narrador Mikael Strigoi via MP ou então faça Login no Chatbox do fórum.

3º PASSO: Entre em nosso grupo no Facebook: Fórum Pally Masters

4º PASSO: Divirta-se

IMPORTANTE:
Como os temas abordados nas crônicas do Sabá (e principalmente de Montreal) são bastante fortes se recomenda que os jogadores tenham 16 anos ou mais.

-V- As leis de Vancouver: Parte 2 - Scriptum Est Legibus: As Leis do Príncipe

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

-V- As leis de Vancouver: Parte 2 - Scriptum Est Legibus: As Leis do Príncipe

Mensagem  Percival Schuttenbach em Seg Fev 09, 2015 7:00 pm

Scriptum est lapis: As leis do Príncipe





Após assumir o trono, Percival Schuttenbach coletou os fragmentos das antigas pedras da lei de Vancouver, as leu e compreendeu e forjou, com suas próprias mãos, literalmente falando, um novo conjunto de leis que regessem a cidade. Mesmo com um olhar conservador, que buscava preservar o legado de seu amigo Siegfried, é possível perceber sensíveis mudanças na "caligrafia" de Siegfried  na de Schuttenbach.
Às leis:

O seguinte conjunto de leis foi escrito e pensado por Percival Schuttenvach, Príncipe, Guardião e Mestre de Vancouver, sancionado pelo mesmo, aprovado por todos os membros de direito do Senado de Vancouver e conteve o consentimento dos membros da Nova Coalizão de Vancouver:

I- A Máscara

Não revelarás tua verdadeira condição àqueles que não sejam do sangue, salvo aqueles que andam conosco sob a noite de lua. Os que desprezarem os dons de Cain a ponto de esbanjá-los sem medo pela primeira vez, submetidos a uma máscara eterna serão. Pela segunda vez, privados de sua liberdade serão. Pela terceira, privados de sua existência serão.

*É fácil perceber a semelhança entre a primeira lei com a famosa tradição da Camarilla. Esta, em realidade, é uma cópia, um enteado legal trazido pela mão de Schuttenbach. A única diferença para a versão clássica da tradição é de que a Máscara de Vancouver está aberta aos lupinos pertencentes a Nova Coalizão.

II- A Negação

Negarás o pecado primordial de Cain e não matarás a teu irmão. A traição quebra a união e nada somos em indivíduo. Estão protegidos também, sob esta lei, aqueles que andam durante o dia, para tal, não matarás a nenhum filho de Set. Eles nos dão a vida e nos mantém na morte. A chibata deve ser suave, para que o rebanho não se rebele. A destruição aguarda aqueles que não controlarem sua sede, seja de sangue ou de poder.

*Devido aos baixíssimos níveis de criminalidade e ao preparo extremo da polícia Canadense é estritamente proibido, em Vancouver, matar um ser humano. Para a maioria dos cainitas estrangeiros é estranho este mandato pois não se sabe de nenhum outro domínio do mundo em que exista tal lei. A parte que proibi o assassinato de outro membro, no entanto, é comum e poucas vezes é mal interpretada ou sequer questionada.

III- A Fraternidade

A fraternidade eterna praticarás com os que andam sob a lua, estes também são nossos irmãos. Jamais entrará em conflito com eles. Jamais matarás a um deles. Jamais desrespeitarás seus locais sagrados ou ousará quebrar o pacto da Coalizão. Algo pior que a destruição aguardará aquele que destratar qualquer de nossos irmãos de sangue.

*Os lobisomens também são protegidos pela lei de Schuttenbach. Uma invenção original e Siegfried melhorada por Percival que garante que as relações bilaterais garou-cainita estejam de acordo com os interesses da Coroa e do Mausoléu.

IV- Boa Fé

Nenhuma reunião ou encontro vampírico acontecerá sem prévia autorização da coroa e sem que um supervisor oficial acompanhe o evento. O acerto de desavenças entre membros também não será tolerado dentro dos domínios do Mausoléu e nenhuma rixa será mantida dentro de seus limites. Aqueles que se encontrarem nas sombras para falar ou para duelar serão extraditados e proibidos de adentrarem o domínio.

*Mais um pensamento pertencente a Siegfried que foi mudado ao gosto de Percival Schuttenbach. Na época do Primeiro Príncipe qualquer tipo de cerimônia coletiva era ilegal, não havia alternativa para esta decisão. Hoje, pela necessidade de apoio político, Schuttenbach permitiu reuniões com duas condições: A de que seus olhos e ouvidos estejam presentes e a de que haja sua sanção para tal. A extensão da lei da Boa Fé, no entanto, é a que traz uma das mais famosas características de Vancouver. "Nenhuma rixa será mantida dentro dos limites da cidade", diz a lei, e é justamente esta proteção que muitos cainitas pelo mundo procuram ao chegar nas bordas de Vancouver, a fuga de seus perseguidores a proteção, não apenas de um Guardião, mas de toda uma cidade, o que incluí, também, seus "amiguinhos peludos"...

V- Criação e Imigração

Está proibida, de toda e qualquer forma, a criação de novos membros dentro dos limites do mausoléu. Novos membros serão acolhidos pela cidade assim que os mesmos apresentarem-se à algum dos correspondentes do Guardião. Sua chegada deve ser individual e sem relação a qualquer grupo ou associação de cainitas, sob pena de exílio ou morte final, a julgamento do Guardião

*A parte que diz respeito à criação é bem simples e auto explicativa. Sobre a imigração, é permitido que cainitas entrem na cidade desacompanhados e dissociados a qualquer outro membro. Se for descoberta qualquer relação prévia entre os cainitas recém chegados estes serão exilados ou mortos, dependendo do humor de Schuttenbach, simples assim.


-V-
avatar
Percival Schuttenbach
Storyteller
Storyteller

Mensagens : 68
Data de inscrição : 02/01/2015

Ficha do personagem
Clã: Lasombra Antitribo
Geração: Oculta
Bando: Triumvirato de Vancouver

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum